26 de abril de 2008

Assim dá gozo...

... ler coisas mais pessoais-verdadeiras... Sei que o mundo é mais virado para as conversas superfluas tipo messenger (sem ofensa). E então fico contente quando leio algo mais significativo, entre outros um dos anjos escreveu-me um desabafo. E vou aqui publicar uma parte da minha resposta em que falo... bem, se alguém tiver a paciência, aqui vêm:


Querido filho,

é mais do que claro que quero contar ainda contigo! Como também é claro que um dia também tu vais sair do GRAPA. É bom olhar para trás para nos certificar do valor e da autenticidade das nossas experiências. A mudança séria sem dor e o futuro de uma pessoa mais madura sem insegurança são duas coisas que não passam de mitos.

Vi partir anjos do GRAPA que nem sequer conheceste. Quando aconteceu, confesso, partiu-se uma parte do coração, mas depois curei as feridas e continuo apaixonado como antes. E lembro-me doutros que deixei, meu grupo de jovens e o de idosos na Alemanha e tanta gente, amiga desde há décadas, que nunca mais vi. Tu sabes que digo isto como homem (maluco e de pancadas, mas sobretudo como homem) feliz e realizado. Vivo o Micha e sinto que consigo cada vez mais ficar semelhante a mim próprio.

Não vamos acreditar nos caminhos fáceis cujos destinos estejam previsíveis e não em caminhos sem monstros nocturnos que nos reduzem a uma miséria constituida apenas por medo, nojo de nós próprios e de falta de coragem. Quem não desce até ao fundo de si, não vai voar até ao céu. Deus fala-nos muito quando Ele parece desaparecido.

Uma constituinte da nossa vida tem de ser uma procura cruelmente autocrítica do nosso caminho verdadeiro.
Outra a entrega à pessoas e à causa que, no fim, nos dizem: isto és tu, tu és assim e podes ser assim (Não interessa se somos "pequenos" ou "grandes".).
Outra ainda a sensibilidade para a linguagem do transcendente que nos fala, sem uma única interrupção, sem uma única excepção, através de tudo e de todos. Para nos guiar , para nos moldar, para encontrar o caminho para a intimidade do outro.

Para quê? Para - com sorte(?) - entender numa visão que todo o mundo e toda a insignificância do nosso ser é apenas uma preparação para um dia nos unir com O caminho, A verdade e A vida. Esta unificação mística é alcançável aos peregrinos verdadeiros que não têm medo de experimentar todos os abismos dentro do eu e dentro do eu do outro. Será uma perda da nossa identidade? É exactamente o contrário, é o encontro com nós próprios. É o que nos dá ma identidade mais profunda.

Já não parecem palavras deste mundo, pois não? Bem, se um budista fosse pedido para explicar os seus sentimentos transcendentais, só se ria. Descrever o encontro com Deus-Amor é como explicar a quem nunca esteve apaixonado o significado da paixão pela namorada. Só pode parecer uma doidice.

Sentir verdadeiramente que Deus se transmite no sentimento do Amor universal em que estamos felizes até não aguentar e com a vontade de abraçar o universo inteiro parece-me a experiência humana mais fantástica e mais relevante. Dá confiança-esperança-fé em nós, no outro, e - óbvio - n'Ele.

Que giro, não é? É celestial! Só que isto não cai do céu. Caminha! O resto já não é contigo. Ele fará o resto.

CAMINHA ! ! !

24 de abril de 2008

Um Adeus difícil

Queridos amigos:

Escrevo-vos apenas para formalizar aquilo que, no fundo, ja aconteceu ha um ano: a minha saida do grapa. Gostava de o ter feito mais cedo mas a verdade é que nao queria escrever uma coisa qualquer e optei por esperar pela inspiraçao (que acabou por nao vir na mesma).

Adorei cada segundo que passei no Grapa: as vezes que me ouviram e aturaram as minhas crises de adolescente complicada, as vezes que vos ouvi e pude aconselhar-vos, as vezes que algumas pessoas vieram ter comigo pedir conselho.

Mas a verdade é que todos crescemos e passamos por fases na vida. A minha fase de grapante passou e agora tenho de assumir o meu novo estatuto: nao o de particpante mas o de animadora. Claro que vou continuar a ser sempre uma participante mas agora, noutro tipo de grupos com outro tipo de problemas e de contextos. Chegou a altura de assumir as minhas responsabilidades e assumir o meu lugar. Tornei-me catequista, animadora de jovens, animadora de campinácios. Sao muitas coisas que nao justificam a minha permanencia num grupo onde estao jovens que eu propria animo noutras actividades (acho que podem compreender-me). E cada vez mais vou conhecendo menos gente!

Bem, queria acima de tudo agradecer-vos por tudo o que fizeram por mim. Tiveram um papel fundamental na formaçao do meu ser: enquanto pessoa consciente, religiosa, solidaria e divertida. Se nao fosse por vos, nao sei onde estaria hoje! Obrigada por tudo.

Podem contar comigo para actividades sempre que precisarem. Mas mandem mensagem senao ja sabem que eu nao sei de nada! E se precisarem de alguma coisa para os vossos encontros, digam. Posso nao ir convosco dois ou 3 dias mas teria todo o gosto em passar uma tarde junto de vos.

E qualquer coisa que precisem de falar, um conselho amigo (mais para as pessoas que me conhecem e ja tem alguma confiança em mim e à vontade), nao hesitem. Peço tambem que leiam esta mensagem numa reuniao visto que nem toda a gente pode ler aqui!

Um beijo muito grande! Isto nao é um adeus mas um 'Até já'! (e nao é um anuncio da tmn, ate porque eu sou da vodafone!). Espero poder ver muitos de voces a florescerem e a tornarem-se grandes animadores!

Beijo grande (outra vez) com muito carinho

da vossa amiga...

Mariana Franco


video

16 de abril de 2008

Acçao Social

Tudo começou com um cantar de parabéns ao Micha. No dia 31 de Março o GRAPA realizou mais uma acção social. A primeira em que eu participei. Encontramo-nos e fizemos do dia 31 um dia especial. Ficamos a saber o que era o Schwungtuch, e vivemos um momento de reflexão onde até publico tínhamos. O certo é que apesar de ser um momento de reflexão completamente diferente de todos os outros que eu tinha presenciado no GRAPA, marcou-me tanto ou mais do que os outros. Porque realmente
NÓS TEMOS UM COMPROMISSO COM DEUS (?) (!) (.)
O almoço foi na cozinha económica, e daí partimos para a casa dos pobres. Entre conversas e canções, onde até alguém arranjou uma avó, passamos uma tarde onde aprendemos e acima de tudo tornamos o dia daquelas pessoas mais animado.
FREEZE … Sim o Freeze, foi o momento a seguir, e depois da brincadeira, sentamo-nos e partilhamos o que aquele dia tinha significado para nós.
E no fim, agradeci-Lhe com um sorriso, e Ele mostrou-me um ainda maior :D

A todos obrigado.


P.S.: Peço desculpa pela demora.

15 de abril de 2008

Goodbye

Olá pessoal..
Espero que esteja tudo bem com todos...
Bem a verdade é que esta é a última vez que vos escrevo como administrador do blogue..(ohhhh..tão todos tão tristes..não estão?!)
Daqui em diante, vou passar a pasta de boss disto ao meu querido afilhado João. E a partir de agr já não vou puder dizer: "Quem manda aqui sou eu!" lol
Achei melhor passar a pasta, porque já não faz nenhum sentido a pessoa que coordena o blogue ser uma pessoa que não está no CAIC, por dentro dos assuntos..
Então, posto isto e os óculos, resta-me agradecer aos meus mais que muitos leitores e críticos, que muito me aconselharam e acompanharam, e que estarão sempre no meu coração..

Beijos, abraços e muitos palhaços

Gonçalo vaz Pedro

P.S.- a partir de agora, quem têm de chatear com o blogue é o Ramirinho:P